Feedforward ou feedback: quais as diferenças?

Você sabia que existe diferença entre feedforward e feedback? Ambas as ferramentas, quando trabalham juntas, são complementos fundamentais para o progresso do profissional e da empresa. Entenda por quê!

O feedback é considerado uma ferramenta essencial para os gestores. Os colaboradores precisam saber se o seu desempenho atende às expectativas do gestor, bem como as formas de melhorá-lo. Nesse contexto também entra o feedforward, um método que fornece sugestões e orientações de como atingir essa melhoria de comportamento.

Confira, a seguir, o que é feedback, qual é o conceito de feedforward e como utilizar essas ferramentas de gestão de pessoas de maneira eficaz. Saiba mais!

O que é feedback?

O feedback funciona como um ponto de referência para o colaborador entender sua posição atual, como está o seu desempenho, assim como sua produtividade e qualidade. Isso é feito com base nas atividades que estão sendo desenvolvidas, em busca de um melhor resultado.

A base do feedback é o autoconhecimento, que tem por objetivo fazer com que o colaborador tenha conhecimento da sua situação atual e, a partir disso, busque formas de melhorar.

O que é feedforward?

O feedforward tem um olhar direcionado para o futuro. Ao contrário de focar no passado, como comportamentos e fatos acontecidos, o método se concentra em melhorar e alcançar resultados. Assim, é essencial para qualquer troca porque pensa no futuro e no desenvolvimento de habilidades do receptor.

O feedforward representa um grande avanço na gestão de pessoas, que, inicialmente, dependia mais exclusivamente do feedback. Trata-se de uma ferramenta que complementa as práticas utilizadas para discutir melhorias.

Qual é a importância do feedforward nos dias atuais?

O feedback é muito conhecido e disseminado no mundo dos negócios, seja para o desenvolvimento de pessoas, seja para a melhoria do desempenho e da produtividade. Com o feedforward as pessoas diminuem a posição defensiva e dificilmente levam os direcionamentos para o lado pessoal, pois não se trata de críticas ou de referências ao outro. 

Na realidade, são orientações claras e objetivas, diferentes de alguns feedbacks que, se mal realizados, podem ser interpretados como uma investida pessoal. O feedforward reforça as alternativas de mudança, pois são os próprios colaboradores que identificam os pontos que necessitam aprimorar para obter mais rendimento.

Os receptores do feedforward costumam recebê-lo de forma mais tranquila, positiva e não reativa. Não consideram algo pessoal por enxergarem o método como uma real necessidade. Por isso, se concentram em escutar o que o outro está dizendo e não pensam em formas de se defender.

Como aplicar o feedforward?

No feedforward, os próprios colaboradores escolhem um comportamento para o qual manifestam o desejo de mudar e descrevem-no para os outros. Em seguida, solicitam sugestões que poderiam ajudar a alcançar essa mudança no comportamento, de modo a obter melhor performance.

Algumas perguntas que induzem à autoavaliação podem facilitar esse processo.

  • Quais são as habilidades que não tenho ou que preciso melhorar? 
  • Quais habilidades mais fazem falta em minhas ações na empresa?
  • Como evitar que determinados comportamentos não ocorram novamente? 
  • Como posso iniciar essa mudança?
  • Quais benefícios poderei atingir com essa mudança? 
  • Que profissional quero ser após essas novas atitudes?

Essas questões atuam como um suporte para que o colaborador volte o olhar para suas ações e busque, em si, as soluções que acredita serem as melhores.

Assim, apesar de acharmos importante orientar e trazer a nossa visão do que o colaborador deve fazer para melhorar, é ele quem visualizará o próprio trabalho e perceberá o que pode ser feito para aprimorar o seu desempenho. Isso é importante, pois trabalha a autonomia.

Quais são as principais diferenças entre feedback e feedforward?

O feedback tem o objetivo de avaliar um comportamento ocorrido no passado. Por exemplo, hoje conhecemos alguns tipos de feedback, como o SCI, que é baseado em três pilares: situação, comportamento e impacto. Os três pontos são baseados em algo decorrido.

Já o feedforward busca melhorar um comportamento no futuro, com um tom de sugestão de aprimoramento de competência. Além disso, essa técnica evita julgamentos e indica um encontro com soluções que podem fazer a diferença para o futuro do profissional.

Quais são os benefícios do feedforward? 

O feedforward, justamente pela sua ação prospectiva, é um bom instrumento para perceber como o colaborador age diante de situações em que é chamado para a mudança. Abaixo, selecionamos os principais benefícios dessa ação. 

Faz com que o colaborador se concentre na solução

A partir do momento em que o exercício do feedforward for colocado em prática, o foco dos colaboradores deve ficar na solução. A visão deles estará, portanto, centrada em suas ações, em seu crescimento e em suas competências, tanto as existentes quanto as que serão desenvolvidas.

Além disso, esse é um exercício que pode se tornar natural. Ou seja, quando feito com uma certa regularidade, pode levar os colaboradores a internalizar esses questionamentos e a fazê-los sempre que acharem necessário.

Estimula o enfrentamento de desafios e as falhas do passado

Às vezes, algumas pessoas têm receio de encontrar desafios ou situações que exijam um posicionamento mais forte. Isso pode ocorrer devido a falhas do passado. Assim, elas ficam engessadas em medos que, normalmente, não conseguem descrever.

O feedforward é uma ferramenta que fortalece o olhar para o futuro. Assim, as falhas cometidas anteriormente ficam como aprendizados. Os profissionais serão estimulados a terem ideias que permitam superar obstáculos. A concentração não estará mais no passado, mas na solução futura.

Muda o comportamento indesejado

Atualmente, algo muito importante que os profissionais precisam aprender é que nada é estático. Tudo se transforma, inclusive algumas de nossas posturas com o decorrer das experiências. Obter essa consciência só será possível quando a gestão também for humanizada.

O feedforward demonstra isso porque trabalha com o refazimento e com a possibilidade de ampliar aprendizados. Por isso, caso haja algum comportamento indesejado, o próprio profissional será capaz de buscar soluções e, assim, promover o seu crescimento por meio da autonomia e das ações que pretende colocar em prática.

Ambos métodos apresentados são essenciais para uma boa gestão. Afinal, o feedforward só consegue os melhores resultados se souber identificar as necessidades do colaborador a partir de um bom feedback.

O que achou do conteúdo sobre feedforward? Quer mais práticas para melhorar o rendimento das equipes? Confira agora como realizar um processo de avaliação e promoção de colaboradores!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.